06/07 – Silêncio em espera, experimentação abstracta, memórias de Scott Walker, bom final.

Nesta emissão, lançámo-nos no ambiente soturno ao som de uma experiência de Mount Eerie no domínio dos field recordings; é um dos seus lançamentos deste ano, a par de algo de nos chegará ainda no final deste 2019 – guardamos o seu nome bem junto de nós desde o fantástico (mas violento) A Crow Looked at Me. Segue-se Lolina, ex-colaboradora de Dean Blunt (ou actual? quem sabe?), que lança Who Is Experimental Music, registo bem mais vanguardista que o anterior The Tower, que também escutámos. Pelo caminho, houve ainda Sculpture, que passariam em Braga a propósito da Noite Branca.

Por algum motivo que agora não recordo, houve a oportunidade de passar pela música de Jacques Brel, nome essencial da música pop francesa, e cuja influência perpassou para outros mundos; nomeadamente, o de Scott Walker, que ouviríamos de seguida. É lá que vamos passar, recordando antes os Slapp Happy, grupo descendente dos Henry Cow, que se norteia menos no jazz e mais na pop esquisita.

Vamos a Scott Walker, então, recordando Rosemary, uma das mais pungentes canções do seu repertório inicial, à qual juntámos Farmer In The City, também muito violenta, e que já por aqui passou (várias) vezes – é irresistível. Terminámos ao som de Vegetal Negatives, disco de Symbiogenesis que nos tocou num nervo que necessitava estimulação.

// (fireworks & wind) – Mount Eerie
1. This Heat – Sleep (Deceit, 1981)
2. Lolina – A Path of Weeds and Flowers (The Tower, 2018)
3. Lolina – Skipping (Who Is Experimental Music, 2019)
4. Lolina – Glitching (Who Is Experimental Music, 2019)
// Let Go
5. Sculpture – Symbolic Molecule (Membrane Pop, 2014)
6. Jacques Brel – Les Flamandes (La Valse À Mille Temps, 1959)
7. Jacques Brel – La Valse À Mille Temps (La Valse À Mille Temps, 1959)
8. Slapp Happy – Slow Moon’s Rose (Acnalbasac Noom, 1980)
9. Slapp Happy – Michelangelo (Acnalbasac Noom, 1980)
10. Scott Walker – Rosemary (Scott 3, 1968)
11. Scott Walker – Farmer In The City (Tilt, 1998)
12. Symbiogenesis – Marja Ahti (Vegetal Negatives, 2019)

0706.jpg

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s