Roedelius à conversa com a Wire Magazine, em Braga.

Cole+Roedelius3_(Credit_Camillo Roedelius)

O Festival Semibreve vai na sua quinta iteração e esta parece ser, em definitivo, a sua afirmação como um evento de referência na música electrónica, experimental, e de uma forma mais abrangente, nas digital arts. Nesse sentido, reforçou o seu raio de acção nas instalações artísticas – como já o tinha feito nas edições anteriores – e, também, em colaboração com a publicação britânica Wire Magazine, a conversas em locais públicos com músicos convidados.

A primeira conversa teve como destaque Hans-Joachim Roedelius, e foi conduzida pela jornalista Frances Morgan. O local escolhido, a Casa Rolão (onde se firma a livraria Centésima Página) cedo se encheu de curiosos espectadores, e muitos deles estrangeiros, num ambiente realmente propício ao conhecimento e à troca de ideias.

Falou-se, sobretudo, do seu interessantíssimo e recheado passado. Roedelius, sempre num registo muito pessoal, privou-nos alguns pormenores sobre a sua carreira, as influências, as circunstâncias, e as intenções subjacentes aos álbuns que iam sendo mencionados; soubemos dos tempos vividos na floresta, a cortar lenha para sobreviver; das brincadeiras com Dieter Moebius, e do encontro criativo com Brian Eno. Segundo ele, a sua música funcionou, a espaços, como um diário de emoções. Reforçou, também, a simplicidade da sua música – que nem sempre o terá sido! – e a pureza que, passados tantos anos de carreira, continua a ambicionar. “I’m a big child!”, disse, já nas despedidas.

Ter Roedelius desta forma ao nosso dispor é uma tentação. Afinal, o seu nome é indissociável de um dos mais interessantes e influentes movimentos culturais, o krautrock, que se deu entre o final dos anos 60 e inícios dos 70. Erroneamente, costuma falar-se em género musical. Não o é, e torna-se evidente quando se escutam alguns dos vários projectos musicais que aqui proliferaram (Tangerine Dream, Neu!, Amon Duul II, etc.), porque não há uma clara definição ou padrão para a sua sonoridade; pelo contrário, o krautrock foi uma espécie de contra-cultura alemã, absolutamente underground e sem sucesso comercial, que nos últimos anos tem suscitado uma nova vaga de interesse. No caso específico de Roedelius, participou em imensos grupos importantes, dos quais destaco os Cluster, na companhia de Dieter Moebius (a não confundir com os Qluster e Kluster, grupos que têm Hans-Joachim como elemento comum, embora com discografias independentes entre si), e os Harmonia, com Moebius, Roedelius, e Michael Röther, integrante dos Neu!.

No entanto, uma personalidade como a do alemão não se cinge à música. A sua influência, e a era do krautrock, são permeáveis e transversais à própria cultura contemporânea. Nesse sentido, os contornos de uma Alemanha fragmentada foram decisivos e não se esquivou a perguntas sobre o pós-guerra. E, já no tempo destinado a perguntas do público, tinha uma pergunta a fazer-lhe: o krautrock e a música kosmische são, actualmente, um dos marcos históricos da música periférica europeia, de uma importância incontornável. Terá a Alemanha noção desse fenómeno, e adoptado essa contra-cultura como integrante da sua história? A resposta não surpreendeu: Roedelius sente que, mesmo nos dias de hoje, esse movimento cultural está algo esquecido na história alemã, fruto, talvez, do trauma pós-fascista que traumatiza as sociedades.

No final da hora designada, havia ainda imenso para falar. Nunca se poderia espremer a sua carreira em tão pouco tempo. Para a memória, fica o encontro com um dos mais respeitados músicos dos últimos 50 anos, cheio de uma singular vivacidade e que promete não parar de compor a sua música. A nós, cabe-nos apenas agradecer.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s