Tropicália, e a doce melancolia de Jessica Pratt – Edição 80 d’A Mosca

Como não podia deixar de ser, A Mosca voltou ao éter da região minhota à mesma hora de sempre, a partir da uma hora da madrugada, de segunda para terça-feira, com mais uma excelente hora de música. Desta vez, a honra de abertura ficou a cargo da colaboração entre Batida Ikonoklasta – nome artístico de Luaty Beirão – a quem envio a maior das solidariedades, numa altura em que tudo se torna cada vez mais difícil. Que a sua causa não seja esquecida e despolete em muitos de nós a consciência que nos faltou para agir mais cedo. Bem mais cedo…

Depois, e aproveitando o tempo quente que ainda se faz sentir, achei por bem trazer a tropicália de Caetano Veloso, uma espécie de género/movimento musical em voga no Brasil dos anos 60/70, com raízes numa contestação política, e simultaneamente muito interessante dum ponto de vista artístico. A ele, justapôs-se Gilberto Gil, outro nome importantíssimo desta época, que ouvimos em colaboração com Os Mutantes.

Um dos destaques da emissão foi, certamente, a música de Coati Mundi. Este artista integrou o grupo Kid Creole and the Coconuts, e daí que estivesse intimamente ligado à casta da ZE Records (casa dos nossos favoritos James Chance e Lydia Lunch, que ouviríamos ainda esta emissão), e colaborou com uma imensidão de artistas de variadas correntes musicais; mas, aqui, ouvimo-lo a solo, com o seu álbum The Former 12 Year Old Genius, que conta com uma óptima re-interpretação de uma música do incontornável Captain Beefheart.

Depois, ouviu-se a música de Sun Ra, que destacaremos numa futura emissão da Quintessência, à imagem do que foi feito com Ornette Coleman; e houve também tempo para uma breve incursão pelo reggae de Keith Hudson, e o dub de Scientist.

Para terminar, aguçámos o apetite para o concerto da próxima segunda-feira, no GNRation, onde vamos poder ouvir Jessica Pratt que nos apresenta um dos álbuns do ano: On Your Own Love Again. É absolutamente obrigatório que apareçam, porque este tipo de registo não é nada comum nos dias de hoje – basta dizer que muitas das suas influências são nomes que por aqui já passaram, como Karen DaltonJoni Mitchell, Vashti Bunyan, etc. -, e muito menos provável é tê-los ao vivo num concerto próximo de nós.

A emissão termina com mais um novo trabalho, desta feita trazido por Jerusalem In My Heart. Como sempre, podem ouvir a emissão na íntegra no nosso Mixcloud, que segue no link. Espero que gostem!

Clica para ouvir a 80º edição!

A Mosca vai para o ar nas madrugadas de

segunda para terça-feira, a partir da

1 da manhã.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s